Sou eu e não podemos ser nós

Eu acabei de chegar a Siem Reap, mas já sei que gostaria de ficar aqui por mais tempo. A cidade é muito movimentada, mas de alguma forma consegue ser calma. Como se no meio de tanta confusão cada pessoa ainda conseguisse encontrar paz em algum momento. E eu estava querendo chegar em um lugar assim.
Eu nunca diria que essa viagem é uma jornada espiritual, ou que viajo para me encontrar ou me conhecer. Conhecer a si mesmo independe de coordenadas geográficas, mas de um processo interno muitas vezes difícil, mas sempre honesto. Viajar com a intenção de fugir de algum problema é como correr de uma bomba que está presa ao próprio corpo. Sabemos que não adianta.

Sei que há pensamentos mais complexos na minha mente e ainda não sei dizer se essa viagem pela  Ásia vai ajudar a resolvê-los ou não. Assim como eu escolho o que fazer a cada dia – onde ir, o que comer, com quem conversar – só eu sou capaz de mudar aquilo que considero necessário. Hoje encontrei com outro viajante que também anda sozinho por aqui. Já que tínhamos o mesmo plano, decidimos passar o dia juntos para conhecer o centro da cidade. Conforme caminhávamos e fazíamos de tudo para conhecer o máximo possível de Siem Reap, conversamos e refletimos sobre tudo o que acontecia na nossa volta. Não foi difícil perceber que os nosso passos tinham o mesmo ritmo e que existia um sentido comum entre as nossas ideias. Viajar sozinho tem dessas coisas. No fim do dia nos despedimos e cada um seguiu o seu caminho, afinal, nossa vontade era de seguir viagem da mesma forma como começamos: sozinhos.

Sou eu e não podemos ser nós.

Entrei no ônibus com destino a Phnom Penh. Depois de interromper a viagem 3 vezes por conta do motor estragado, vi que a única maneira de seguir viagem seria pegando carona pela estrada. Coloquei a minha mochila nas costas e segui andando na mesma direção em que o ônibus estava indo antes. Quando finalmente outro ônibus parou para me ajudar, entrei sem nem mesmo saber exatamente para onde ia, só tive certeza de que estava mesmo indo para Phnom Pehn quando cheguei lá. Caso tivesse ido parar em outra cidade, não teria problema. Qualquer lugar estaria bom pra mim.

Anúncios

4 comentários sobre “Sou eu e não podemos ser nós

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s