Sobre a falta de medo e outras ilusões

Um dia eu resolvi que ser destemida seria a melhor característica que eu poderia ter. Que além de coragem, eu também saberia enfrentar as situações mais inesperadas sem medo e que dessa forma, eu alcançaria os meus objetivos. Principalmente os de viajar. Mas o tempo passa, e com ele, ganhamos  a experiência de saber com antecedência que alguma coisa pode estar errada. Ou pelo menos desconfiamos disso. Eu queria ser destemida porque ter medo não é natural e é um sintoma de fraqueza. Mas ser destemida não é apenas difícil, é impossível.

Esse medo manifesta-se de maneira quieta e quase inconsciente – mas sempre acompanhado de duas palavras que até parecem inofensivas, quando não levadas muito a sério: “E SE?“. O “e se” percorre o meu corpo enquanto arrumo as minhas malas, quando passo pelo controle de segurança do aeroporto e quando entro no avião. Só algumas horas depois eu lembro: ter medo é normal.

Por isso eu queria dizer a todas (e todos) nós que viajamos sozinhas (e sozinhos) que não há nada de errado em ter medo. Todos nós já tivemos e continuamos tendo os nossos medos. Existem riscos quando se viaja? Claro, os mesmos riscos que existem quando estamos em casa, só que parecem que assustam mais se estamos longe. Tendo senso comum, tomando alguns cuidados básicos e tendo uma cabeça livre de preconceitos, não há do que temer. Eu garanto.

E se me roubam? E se eu fico doente?  E se o plano não der certo? Bom, mas e se não? E se nada disso acontece? Viajando sozinha eu aprendi a ser mais responsável pelas minhas coisas e por mim mesma, aprendi a prestar mais atenção, a ser menos indecisa, a escolher tudo sozinha sem consultar ninguém, a lidar com as consequências das minhas escolhas e a analisar as vantagens e as desvantagens de cada uma delas. Isso me deu segurança e me ajudou a conhecer melhor os meus medos e a descobrir a melhor maneira de superá-los. Aprendi a estar sozinha, a aceitar e a gostar do silêncio e a gostar de conversar com outras pessoas também. Aprendi a gostar da minha própria companhia, a confiar mais e a vacilar menos.

Sentir medo indica que você é uma pessoa. Indica que antes de tudo, você teve coragem. E eu sou tão medrosa quanto sou corajosa. Já que afinal, a ausência de medo só significa a ausência de coragem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s