De Londres e amores

Samuel Johnson, escritor inglês, disse que “quando um homem se cansa de Londres, ele está cansado da vida”. Londres me chama, me encanta, faz com que nossas despedidas sejam dramáticas e me obriga a prometer que em breve estarei de volta. Acho que é verdade quando dizem que nunca esquecemos nosso primeiro amor.

Há muitos anos atrás eu já era fascinada pela cidade, sem nem ao menos conhecê-la. Passava horas escutando rock inglês com o volume bem alto e imaginando o dia em que eu estaria andando por aquelas ruas, que eram os cenários dos filmes e dos programas que eu gostava de assistir. A Inglaterra era o centro do mundo pra mim – que convencida de ter nascido no país errado – contava os dias para atravessar o oceano e chegar em Londres, o centro das minhas atenções.

Londres

Arte, música, literatura, história, sotaque britânico, Beatles e dias cinzentos. Uma cidade tão intensa, multicultural e notável, onde milhões de vidas já foram vividas – seria a minha única vida o suficiente para viver tudo isso? Tamanho fascínio já me levou, com sorte, cinco vezes à cidade que nunca me decepciona e só faz com que o meu amor por ela cresça. Basta apenas entrar no “tube”, descer em Trafalgar Square que as minhas memórias me levam de volta tempo em que eu sonhava em estar ali, e então eu sei que vai ficar tudo bem.

Eu não me importo de quase nunca ter visto um dia de muito sol por lá, que tudo seja muito caro ou do movimento frenético e constante por todos os lugares da cidade. Se cada visita pudesse me ensinar uma lição, seria que não importa o quanto eu já tenha crescido desde a minha primeira visita na cidade e o quanto eu seja diferente agora: Londres cresceu junto comigo, segue o meu ritmo e acompanha as minhas mudanças perfeitamente. Cada estadia na cidade é uma lembrança do quanto o meu amor por ela não mudou nem diminuiu, e também uma lembrança de todos os sonhos que eu tinha de uma vida que que eu queria muito, mas que não era minha para ser vivida.

A verdade mais pura é que eu amo Londres e tenho a impressão de que é um amor pra vida toda. Depois de ter viajado tanto, ainda enxergo esse céu cinzento e frio como um plano de fundo ideal para uma cidade tão linda e especial. O amor que eu sinto é incondicional, infinito e seguro de que não importa a distância que nos separa ou os anos que passam entre uma visita e outra: Londres vai estar lá, preparada para seguir o meu ritmo e confiando na maneira como eu a vejo conforme cresço. Não é assim que os amores deveriam ser?

Big Ben

Anúncios

5 comentários sobre “De Londres e amores

  1. Nossa, adorei o seu texto! Me identifiquei muito, porque Londres e a Inglaterra sempre foram o centro do mundo para mim também. 🙂 Tive a oportunidade de ir uma vez para lá, e foram uns dos dias mais incríveis da minha vida. É um amor imenso, e a certeza de que essa cidade será sempre um dos lugares que mais amo em todo o mundo, ainda que eu mal o conheça, rs! Amei o texto, me deu muita saudade de lá e a esperança de um dia retornar a este lugar incrível! ❤

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s