Sobre perigos, lugares e viagens

Quando o assunto é viagem, cada um tem a sua própria opinião sobre quais lugares são perigosos e quais não são para viajar – na maioria das vezes, sem nunca ter ido lá. Para usar um exemplo (de muitos que eu posso lembrar), quando eu decidi viajar de carro pela Albânia, fui “avisada” de todos os perigos possíveis, desde roubos de carros e passaportes, até sequestros. Parece que nos meses que antecederam a minha viagem, a Albânia passou a ser o lugar mais perigoso do mundo, que além da sua famosa máfia, também passou a ser conhecida por inúmeros crimes e horrores. Com tantos comentários, me senti um pouco insegura de seguir viagem, mas por sorte esse momento de insegurança passou e eu fui mesmo assim.

Chegando lá, pude perceber que qualquer medo que eu pudesse sentir, seria injustificável. A Albânia é um país lindo, tranquilo e cheio de pessoas amáveis. Para ser mais exata, me senti tão segura lá quanto me sinto em outros lugares mais “turísticos” e conhecidos.

Em primeiro lugar, eu acredito que se você não foi a determinado lugar é melhor não opinar com tanta autoridade sobre ele; afinal, você não sabe. E “assustar” alguém antes de uma viagem não é a melhor coisa a ser feita, suas preocupações podem ser demonstradas de outra forma sem criar insegurança ou medo em quem vai viajar. Muito provavelmente, quem vai viajar para a Colômbia sabe que lá acontecem muitos assaltos; quem vai para a Albânia sabe que lá é grande o número de carros roubados; quem vai para a Índia sabe que infelizmente há muitos casos de estupros… e por aí vai. Eu poderia fazer uma lista com cada país do mundo.

Com tantas informações disponíveis, é realmente difícil avaliar se um lugar é perigoso ou não apenas com informações de segunda mão. Notícias, estatísticas, artigos… tudo pode ser levado em consideração, desde que façamos análises realistas e não sensacionalistas sobre o que chega aos nossos ouvidos. Outra dificuldade é que, na maioria dos casos, quem reforça essas imagens negativas sobre um país nunca esteve lá (ou conhece alguém que já esteve).

Goiânia a noite

O mais importante é analisar um país como um todo: o que está acontecendo nesse país nesse momento? O que você faz para avaliar os perigos de um lugar? Pessoalmente, você se sente seguro em visitar esse lugar? Como cada pessoa tem um nível de conforto diferente, cabe a cada um analisar o que poderia ser perigoso ou não em determinado país. Perigos existem por todos os lados e não há regras para isso. Da mesma forma que eu passei dias maravilhosos viajando na Albânia sem problema algum, talvez alguém tenha tido uma experiência completamente oposta da minha. E posso imaginar casos parecidos em todos os lugares do mundo.

Analisar os problemas e perigos de um país não significa ignorá-los e acreditar que numa viagem eles não existirão. Muito pelo contrário: é levá-los em consideração durante o trajeto e saber mais sobre o lugar por onde se está viajando. No final, não há “lugares seguros” e “lugares perigosos”. Há apenas diferentes tipos de riscos que, com o uso do bom senso, devem ser gerenciados, enfrentados ou até evitados, se essa for a sua decisão.

Anúncios

4 comentários sobre “Sobre perigos, lugares e viagens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s