Onde eu encontrei Berlim

Confesso que demorei um pouco para entender a obsessão que vejo muita gente ter por Berlim. Isso não quer dizer que eu não tenha gostado da cidade desde a primeira vez que fui lá – Berlim encanta pelo menos por seu valor histórico, mas eu precisei de uma segunda viagem para entender melhor todo o mistério que ela carrega por trás de suas amplas avenidas, ruas longas e construções pós-guerra.

Memorial em Berlim

As pernas cansam de tanto andar mas as energias e os pensamentos são renovados a cada esquina, afinal Berlim respira cultura, liberdade e diversidade, características que são incansáveis. Entre pontos turísticos muito disputados entre os turistas para uma foto, Berlim tem vida própria por onde quer que você olhe. Ver tanta diversidade, descomplicação e convivência direta entre passado e presente talvez fosse o que faltava para que eu também me apaixonasse pela cidade. Berlim nem sempre é compreensível à primeira vista. Berlim vive sem parar cada minuto do seu tempo e é preciso entender que tempo é esse: o futuro.

Foi entre o feio e o bonito. Foi entre o passado e o futuro. Foi entre o velho e o novo. Foi entre a pontualidade alemã e a flexibilidade das outras culturas. Foi entre a história e o turismo. Foi entre a liberdade e a responsabilidade. Foi entre a beleza às vezes mostrada do avesso e a beleza escancarada na minha frente. Foi aí que eu encontrei Berlim.

Muro de Berlim

Anúncios

3 comentários sobre “Onde eu encontrei Berlim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s