Conselhos aleatórios (e úteis) para viajar pela Europa

Recebo vários e-mails diariamente e 90% deles são perguntas sobre roteiros pela Europa, dicas de viagens, recomendações e conselhos. Eu entendo as dúvidas e as dificuldades de todo mundo sobre esse assunto e garanto que, depois de mais de 8 anos morando aqui e viajando frequentemente pelo continente, depois de muitos erros eu finalmente passei a acertar cada vez mais. Não foi fácil e diversas vezes eu fui vítima de planejamentos mal feitos, mas o tempo e as experiências me ajudaram a melhorar e a conseguir viajar de forma mais inteligente e produtiva. Por isso, hoje vim aqui compartilhar estes conselhos – alguns óbvios, alguns aleatórios – mas todos de grande utilidade para quem quer viajar pela Europa.

As curtas distâncias entre os países da Europa são praticamente um convite para conhecer o maior número de lugares possíveis. No entanto, na empolgação de escolher um roteiro, acabamos esquecendo que há o tempo de deslocamento entre os lugares, aeroportos, estação de trens… o que muitas vezes acaba deixando os dias bem corridos e sem muito tempo livre para realmente aproveitar os lugares. Evite a correria e o cansaço: estabeleça um foco e mantenha-se fiel a ele. Menos é mais – especialmente nesse caso.

Com o foco estabelecido, comece a pesquisar sobre o deslocamento. Marque os lugares no mapa e busque as opções de transporte e busque informações do trajeto. Às vezes é necessário mudar alguns dos planos para que o trajeto seja possível.

Se o deslocamento for feito de avião: não tenha medo de reservar voos com as companhias aéreas low cost – elas são bem comuns por aqui, atendem em inúmeros destinos europeus e normalmente custam muito menos que outras empresas. No entanto, fique atento ao aeroporto de saída e chegada, pois há aeroportos menores que ficam em afastados das cidades e o transporte acaba saindo mais caro.

Seja flexível com as datas da viagem e encontre preços melhores (como voos durante a semana, por exemplo).

Viaje apenas com bagagem de mão – evite carregar peso, perder tempo arrumando malas, esperando as malas chegarem na esteira e é claro, evite pagar taxa extra na hora de reservar os voos.

Se o deslocamento for feito de trem: considere comprar passes de trem se for viajar entre vários países ou fazer várias viagens dentro de um mesmo país. Dependendo do seu roteiro, eles saem mais baratos e facilitam a viagem.

Esteja atento ao número e destino do seu trem, os horários dos trens são normalmente bem parecidos (com diferenças de poucos minutos) e um trem que passa 4 minutos antes do seu provavelmente irá parar em um lugar completamente diferente de onde você quer ir.

Na hora de comprar passagens de trem, compre diretamente nos sites oficiais ou nas próprias estações.

Se o deslocamento for feito de carro: pesquise sobre o trajeto e sobre os pedágios do caminho. Muitas vezes as distâncias não aumentam se você ir pelas estradas gratuitas e os trajetos são mais agradáveis.

Na hora de escolher os lugares para visitar, lembre-se que há cidades e lugares maravilhosos além das capitais europeias. Não tenha receio de não conhecer os lugares mais turísticos.

Se você não quer gastar muito e/ou não gosta de multidão, evite viajar durante o verão europeu. Ou planeje com bastante antecedência, mas encontrar todos os lugares cheios será inevitável.

Evite passar apenas uma noite em cada lugar. O deslocamento entre aeroporto-hotel pode ser bem exaustivo e tomar muito tempo, assim como ficar trocando de hotel/acomodação todos os dias também é cansativo.

Tenha sempre dinheiro na moeda local, nem todos os lugares aceitam pagamento com cartão de crédito e muitas vezes, pagar em moeda estrangeira – quando aceita – acaba saindo mais caro (e até hoje as melhores taxas de câmbio que eu encontrei foram na cidade, as piores, nos aeroportos).

Utilize o transporte público das cidades para deslocar-se: de forma geral, por aqui eles funcionam muito bem, são seguros, pontuais e cobrem praticamente todas as áreas das cidades. É comum que muitos metrôs, ônibus e trens não tenham catracas e/ou barreiras para passar, mas isso não quer dizer que você pode ir sem pagar. É necessário comprar e validar a passagem antes de entrar – ser um “turista desinformado” não vai livrar você de uma multa e de uma situação muito desagradável. Se for passar vários dias na mesma cidade, considere comprar um passe de transporte público.

Os bondes de Praga

Se tiver um carro alugado, pesquise sempre sobre estacionamento – nem todas as cidades possuem vagas nas ruas para qualquer pessoas (há vagas para residentes, vagas pagas, vagas que só estão disponíveis em determinados dias e horas…). Especialmente nas capitais, encontrar vagas ou lugares onde é permitido estacionar pode ser uma missão impossível, por isso se puder, evite alugar carro ou deixe no estacionamento do hotel.

Se estiver viajando com pouco dinheiro, pesquise sobre atividades e atrações gratuitas (há inúmeras), dias de museus grátis e descontos para estudantes (dica: ISIC card). Muitas vezes também é possível comprar entradas pela internet que saem mais baratas e podem evitar filas.

Quando o assunto é comida, evite restaurantes em locais muito turísticos e busque opções em ruas mais afastadas, a qualidade da comida será muito melhor e os preços também. Se o restaurante tem um cardápio em diversos idiomas, você está no lugar errado.

Alguns restaurantes cobram uma taxa extra para comer no local, por isso muitas vezes há dois preços diferentes nos cardápios.

Se o hotel não oferecer café da manhã (ou cobra uma taxa extra), não se preocupe: procure uma padaria ou cafeteria próxima para fazer a refeição. Feiras de comida também são uma boa opção.

Hora do cafezinho em Lisboa

Beber água da torneira é seguro em quase todos os países da Europa, mas informe-se na sua chegada para ter certeza se onde você está também é.

Utilize os espaços públicos (praças, parques…) para fazer refeições, descansar, planejar o dia…

Se você gosta de fazer visitas guiadas, procure pelo “free tour” – é uma ótima opção de conhecer os lugares e é possível encontrar guias em diversas cidades europeias. Só não esqueça de pagar no final.

Países menos turísticos e conhecidos são ótimos para quem quer sair do roteiro tradicional e ver outros lados da Europa (já falei de alguns lugares assim aqui no blog, como sobre a Albânia, por exemplo).

Se quiser fazer compras, as promoções que acontecem no final de cada estação são excelentes e acontecem em todas as lojas. Fique atento. Alguns lugares também oferecem a possibilidade de devolução de impostos para quem não é residente na Europa.

Planeje com antecedência e utilize apps, sites e blogs para ajudar no planejamento e durante a viagem. Essas ferramentas são muito úteis e atualizadas e em muitos casos, nos ajudam a organizar.

Leia comentários e aceite sugestões, mas saiba ponderar as informações e use-as como guia, não como regras. Planeje mas aceite as mudanças de planos que talvez – inevitavelmente – aconteçam durante a viagem.

Anúncios

2 comentários sobre “Conselhos aleatórios (e úteis) para viajar pela Europa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s